Pesquisar este blog

Carregando...

domingo, 26 de agosto de 2012

Atividade Auto da Barca do Inferno


Avaliação Bimestral

Auto da Barca do Inferno

            Antes de mais nada, "auto" é uma designação genérica para peça, pequena representação teatral. Originário na Idade Média, tinha de início caráter religioso; depois tornou-se popular, para distração do povo. F oi Gil Vicente (1465-c. 1537) que introduziu esse tipo de teatro em Portugal.

          O "Auto da Barca do Inferno" (c. 1517) representa o juízo final católico de forma satírica e com forte apelo moral. O cenário é uma espécie de porto, onde se encontram duas barcas: uma com destino ao inferno, comandada pelo diabo, e a outra, com destino ao paraíso, comandada por um anjo. Ambos os comandantes aguardam os mortos, que são as almas que seguirão ao paraíso ou ao inferno.

Chegam os mortos
            Os mortos começam a chegar. Um fidalgo é o primeiro. Ele representa a nobreza, e é condenado ao inferno por seus pecados, tirania e luxúria. O diabo ordena ao fidalgo que embarque. Este, arrogante, julga-se merecedor do paraíso, pois deixou muita gente rezando por ele. Recusado pelo anjo, encaminha-se, frustrado, para a barca do inferno; mas tenta convencer o diabo a deixá-lo rever sua amada, pois esta "sente muito" sua falta. O diabo destrói seu argumento, afirmando que ela o estava enganando.

             Um agiota chega a seguir. Ele também é condenado ao inferno por ganância e avareza. Tenta convencer o anjo a ir para o céu, mas não consegue. Também pede ao diabo que o deixe voltar para pegar a riqueza que acumulou, mas é impedido e acaba na barca do inferno.

             O terceiro indivíduo a chegar é o parvo (um tolo, ingênuo). O diabo tenta convencê-lo a entrar na barca do inferno; quando o parvo descobre qual é o destino dela, vai falar com o anjo. Este, agraciando-o por sua humildade, permite-lhe entrar na barca do céu. E assim por diante individuo após individuo.

01.   Onde ocorre as ações descritas em O Auto da Barca do Inferno de Gil Vicente? ( 2esc.)

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

02.   Mesmo sem apresentar-se explicitamente, Gil Vicente deixa transparecer um objetivo com a produção desse livro. Qual? ( 3 esc.)

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

03.   O frade e a alcoviteira
A alma seguinte é a de um sapateiro, com todos os seus instrumentos de trabalho. Durante sua vida enganou muitas pessoas, e tenta enganar também o diabo. Como não consegue, recorre ao anjo, que o condena como alguém que roubou do povo.

 

a)     Qual o tipo social representado pelo sapateiro? ( 2esc.)

_____________________________________________________________________

b)      De que forma enganava as pessoas para não merecer a Barca da Gloria? ( 2esc.)

_____________________________________________________________________

04. O frade é o quinto a chegar... com sua amante. Chega cantarolando. Sente-se ofendido quando o diabo o convida a entrar na barca do inferno, pois, sendo representante religioso, crê que teria perdão. Foi, porém, condenado ao inferno por falso moralismo religioso.

a)     De como denominamos o falso moralismo, sendo religioso ou não?( 2esc.)

_____________________________________________________________________

b)      O frade fora condenado devido seu falso moralismo e também por se envolver sexualmente com mulheres. A prática de abster- se sexualmente chamamos de : ( 2esc.)

(   )castidade

(   )celibato

(   )promiscuidade

05.  Brísida Vaz, feiticeira e alcoviteira, é recebida pelo diabo, que lhe diz que seu o maior bem são "seiscentos virgos postiços". Virgo é hímen, representa a virgindade. Compreendemos que essa mulher prostituiu muitas meninas virgens, e "postiço" nos faz acreditar que enganara seiscentos homens, dizendo que tais meninas eram virgens. Brísida Vaz tenta convencer o anjo a levá-la na barca do céu inutilmente. Ela é condenada por prostituição e feitiçaria.É a vez do judeu, que chega acompanhado por um bode. Encaminha-se direto ao diabo, pedindo para embarcar, mas até o diabo recusa-se a levá-lo. Ele tenta subornar o diabo, porém este, com a desculpa de não transportar bodes, o aconselha a procurar outra barca.

a)     Por que realmente o Diabo não queria levar o judeu?( 4esc.)

__________________________________________________________________

b)   Qual a solução para tal problema? ( 4 esc.)

___________________________________________________________________

06.  O corregedor e o procurador, representantes do judiciário, chegam, a seguir, trazendo livros e processos. Quando convidados pelo diabo para embarcarem, começam a tecer suas defesas e encaminham-se ao anjo.

 

a)     Na barca do céu, o anjo os impede de entrar: são condenados à barca do inferno por qual motivo? ( 4 esc.)

_________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

07.  O próximo a chegar é o enforcado, que acredita ter perdão para seus pecados, pois em vida foi julgado e enforcado. Mas também é condenado a ir ao inferno por corrupção.
Por fim, chegam à barca quatro cavaleiros que lutaram e morreram defendendo o cristianismo. Qual o destino para estes?Justifique. ( 4 esc.)

_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________.

Nenhum comentário:

Postar um comentário